A tecnologia hoje é essencial para diversos modelos de negócios de várias empresas no mercado. Mas assim como ela trouxe uma revolução nas transações comerciais, os riscos também aumentaram substancialmente, com as ameaças de invasão, sequestro e perda de dados.

Então, como reduzir riscos da empresa sendo que é impossível deixar de depender da tecnologia? A segurança da informação pode ser a resposta para essa pergunta.

No post de hoje vamos mostrar para você como estratégias de proteção podem ser utilizadas como um trunfo para diminuir as potenciais vulnerabilidades de um negócio. Continue a leitura e descubra!

O problema da fragilidade dos sistemas

A vulnerabilidade que diversos sistemas trazem para a empresa é um risco constante. São diversas situações que podem ocorrer todos os dias e causar prejuízos e a indisponibilidade dos serviços de TI da companhia.

Se você acompanha as notícias do mundo da tecnologia deve ter ouvido falar no WannaCry, um ransomware, software de sequestro de informações, que assolou o mundo causando milhões de dólares em prejuízo.

Logo após esse código malicioso se tornar uma lembrança ruim, conhecemos o Badrabbit, outros ransomware que causou milhões em perdas pelo mundo. Nos dois casos, empresas foram afetadas no Brasil.

Sabe que outra característica esses ataques têm em comum? Eles se valeram de sistemas não atualizados utilizados pelas empresas e pessoas físicas em suas máquinas. Uma rotina que poderia ser facilmente detectada e tratada por uma política de segurança da informação.

A solução para reduzir riscos da empresa

A política de segurança da informação é uma estratégia de implementação da proteção com o intuito de conferir confiabilidade a toda uma infraestrutura de TI, para que ela não sofra com a perda de dados e esteja preparada para possíveis eventos, como ataques de pessoas mal-intencionadas e catástrofes naturais.

Assim, mesmo que não seja possível prevenir todas as ameças que possam surgir no caminho da empresa, é possível minimizar ao máximo e estar preparado para agir se necessário.

Ou seja, a segurança da informação permite que sejam mapeadas todas as vulnerabilidades que oferecem um risco à empresa com o intuito de corrigi-las e garantir a disponibilidade da infraestrutura e serviços de TI da companhia.

Os benefícios da segurança da informação

Identificação de ameaças

Ao implementar uma política de segurança da informação é possível realizar uma análise crítica de todos os processos, serviços e infraestrutura de tecnologia da empresa, buscando por vulnerabilidades que serão sanadas em tempo hábil, prevenindo maiores problemas.

Conformidade

Com a adoção de normas e padrões como norteadores de uma política de segurança da informação, como a ISO 27000 e seus derivados, a empresa poderá empregar uma conformidade com as melhores práticas de proteção do mercado.

Redução de custos

Mesmo com os gastos iniciais de implementação, a segurança da informação é capaz de reduzir os gastos que teriam de ser aplicados na correção de problemas de disponibilidade e restauração de sistemas.

Diminuição de riscos

Ao tratar de todas as vulnerabilidades existentes nos processos, sistemas e infraestrutura de TI, há a redução de riscos de perda de informação por falhas de sistema, invasões por hackers e quaisquer outros eventos que possam comprometer a disponibilidade dos serviços de tecnologia.

A aplicação da solução

No momento de aplicar a segurança da informação na empresa é preciso estar atento aos três pilares fundamentais. São eles:

  • disponibilidade — as informações devem estar disponíveis para as pessoas autorizadas de forma segura;
  • confidencialidade — o acesso às informações deve ser possível apenas às pessoas autorizadas;
  • integridade — os arquivos devem ser protegidos contra modificação ou corrompimento.

O risco ao qual um processo está sujeito pode ser definido como a combinação entre a probabilidade que ele ocorra e as consequências para a empresa se ele ocorrer.

O primeiro passo para criar uma política de segurança da informação é analisar as principais diretrizes adotadas pela empresa na busca pela proteção dos dados verificando suas atitudes em relação a algumas questões básicas.

Tipos de dados existentes na empresa

É interessante levantar quais as categorias de informações que são gerenciadas na companhia, onde são armazenadas e seu ciclo de vida, se são informações confidenciais, públicas ou privadas e quem pode ter acesso a elas, dentro e fora da empresa.

Alguns dados são mais visados do que outros, e podem ter mais valor para os criminosos. Geralmente há de se ter uma atenção especial aos dados de clientes sob tutela da empresa.

Riscos de exposição dos dados

Após verificar quais são os tipos de dados presentes dentro da organização é preciso saber distinguir o risco que incorreria para a empresa caso eles fossem expostos, se tornando públicos.

Obviamente, alguns dados são mais importantes do que outros e poderiam incorrer não só em prejuízos financeiros, mas também em perda de confiabilidade por parte de clientes e parceiros.

Possibilidades de vazamento

É preciso verificar também quais são as possibilidades de vazamento de informação na empresa hoje, caso um hacker fosse agir — qual método ele utilizaria para chegar até os dados protegidos.

Para chegar até esse grau de especialidade pode-se necessitar de apoio de uma equipe externa, como uma empresa de consultoria especializada em segurança da informação. Neste caso os profissionais podem até efetuar testes de invasão para verificar vulnerabilidades.

Ativos mais importantes

Determinar quais são as informações mais importantes e investir em maior proteção também faz parte de uma política de segurança da informação. É preciso realizar uma separação entre mais relevantes e menos relevantes.

Informações críticas devem ser alvo de rotinas de backup constantes para manter arquivos de restore atualizados para o caso de qualquer evento que resulte em perda dos originais.

Cultura organizacional

Outro item muito importante na hora de aplicar a segurança da informação é trabalhar junto aos colaboradores para criar uma cultura organizacional de segurança.

Muitas empresas são invadidas com técnicas de engenharia social, onde o cibercriminoso faz um contato via telefone ou e-mail com colaborador e consegue uma série de informações relevantes para planejar e realizar o ataque.

É necessário mostrar aos colaboradores que eles também fazem parte da segurança da informação da empresa e capacitá-los para estarem prontos para agir, tomando maiores precauções com relação aos dados da companhia.

Esperamos que este texto possa ter mostrado para você como aplicar segurança da informação pode reduzir riscos da empresa e contribuir para melhorar processos.

Se você tem dúvida acerca de seus sistemas, confira mais um de nossos posts — Segurança da informação: como saber se seus dados estão seguros — e continue aprendendo!