fbpx

Erros em segurança da informação são muito comuns dentro das empresas e esse quadro indesejável deve-se principalmente à falta de conhecimento sobre o assunto.

Além disso, como os gestores estão constantemente ocupados com o negócio da empresa, acabam negligenciando a segurança. E essa é uma falha que pode custar muito caro!

Neste post, reunimos os 6 erros mais comuns na gestão da segurança da informação dentro das empresas. Pode ser que você se identifique com alguma dessas práticas… E esse é o primeiro passo para melhorar esse processo dentro da sua empresa. Boa leitura!

Segurança da informação

Com a evolução da tecnologia, as empresas estão cada vez mais dependentes dos sistemas e, com isso, ficam expostas às suas vulnerabilidades. Desse cenário, vem a importância de determinar políticas específicas para manter a proteção dos dados da empresa e dos clientes.

A segurança da informação é uma área estratégica da TI que lida diretamente com a melhoria contínua dos softwares, hardwares e peopleware para evitar que informações sejam perdidas ou roubadas.

Principais erros em segurança da informação

Como a gestão da segurança da informação não costuma ser a atividade-fim da empresa, mas apenas um meio de manter os processos e serviços em funcionamento, dificilmente o gestor tem o conhecimento adequado para tomar providências nessa área.

Com isso, ele acaba por tomar decisões equivocadas ou incidir em uma série de erros que podem prejudicar ou até mesmo interromper as atividades da empresa. Veja os erros mais comuns.

1. Falta de investimento em segurança

O primeiro ponto a ser mencionado é o principal responsável por uma série de prejuízos nas empresas: a falta de investimentos na área de segurança da informação. Esse fato justifica-se pela falta de conhecimento da real necessidade de proteção contra ameaças e das consequências de um evento que prejudique os processos.

Quanto mais a tecnologia evolui, novas formas de ataques e novos vírus são criados, demandando um maior investimento em diferentes ferramentas de proteção por parte das empresas.

2. Ausência de controle de usuários

Boa parte das empresas não realiza um controle rigoroso de acesso dos usuários aos níveis de informação dentro da empresa, possibilitando que qualquer funcionário tenha acesso a todos os dados, sem exceção.

É preciso criar níveis de permissão e conceder acesso de acordo com o nível de cada usuário aos sistemas da empresa. Isso evita que, caso um funcionário tenha suas credenciais roubadas, o criminoso tenha irrestrito acesso aos dados da empresa.

3. Inexistência de política de segurança

Outro ponto falho em algumas empresas é a falta de uma política de segurança bem-definida que oriente os colaboradores sobre as atitudes permitidas ou não em relação aos níveis de acesso aos dados da companhia.

A implementação de uma política de segurança facilita a disseminação da responsabilidade da proteção dos dados sobre todos os envolvidos no processo, uma vez que o prejuízo decorrente de ataques lesa a empresa e, por consequência, também os colaboradores.

4. Falha na rotina de backup

A rotina de backup é muito importante para a segurança. No entanto, muitos gestores só percebem tal importância quando esbarram na necessidade de realizar um restore de banco de dados e, aí, já pode ser tarde demais.

Implementar uma rotina de backup eficiente pode salvar as operações de sua empresa no caso de algum desastre natural que destrua os servidores ou ataques de ramsonware, por exemplo, que sequestrem seus dados.

5. Dispensa da parceria com especialistas

Contratar colaboradores especialistas em segurança da informação pode significar um alto custo, principalmente em pequenas empresas que não contam com grandes orçamentos para o setor de TI.

Por isso, nesses casos, contar com uma parceria, terceirizando a segurança da informação, pode ser a melhor opção. A empresa parceira conta com know-how de ferramentas e técnicas de proteção de dados que podem auxiliar na demanda de seu negócio.

6. Falta de controle sobre atualizações

A porta de entrada utilizada pelos cibercriminosos em seus ataques são as vulnerabilidades existentes em sistemas e hardwares. Tanto que as empresas desenvolvedoras costumam lançar diversas atualizações conforme essas falhas são descobertas.

No entanto, diversas empresas não realizam a atualização de seus sistemas, facilitando, e muito, a vida de hackers que se utilizam desses erros. Quando uma atualização é lançada, as ameaças que se utilizam das vulnerabilidades encontradas costumam se multiplicar com o intuito de atingir todos aqueles que não realizaram as devidas atualizações.

Um dos principais ataques de ramsonware já registrados até hoje, o WannaCry, se utilizou de uma vulnerabilidade do Windows Server 2003 para invadir computadores e criptografar dados, exigindo um resgate para a liberação.

O software já havia sido atualizado para corrigir a falha, porém, como muitos usuários não realizaram a atualização recomendada pela Microsoft, acabaram por sofrer com esse ataque.

Segurança é responsabilidade de todos

Por mais que o principal responsável pela gestão da segurança da informação seja o gestor de TI, é necessário incutir em todos os colaboradores a ideia de que a proteção dos dados deve ser uma prioridade para todos.

Muitas das ameaças obtêm sucesso por meio de falhas de atenção dos funcionários, que navegam por sites proibidos ou abrem e-mails pessoais em computadores da empresa.

Para conscientizar os colaboradores, o gestor pode investir em palestras, cursos e capacitações para disseminar uma política de segurança na empresa e mostrar os riscos existentes nas mais simples ações.

A cooperação dos funcionários é essencial para o sucesso de uma estratégia de segurança da informação, já que, mesmo com as melhores ferramentas de proteção, o elo mais fraco é sempre o usuário.

Para manter seus dados e os de seus clientes seguros, é preciso estar sempre atento aos erros em segurança da informação que foram apresentados neste post. Esperamos que, caso você tenha identificado que alguma das situações citadas exista em sua empresa, busque maneiras de corrigi-la o mais rápido possível para evitar prejuízos e falhas de segurança.

Gostou do conteúdo e quer saber mais sobre o assunto? Leia nosso post sobre a terceirização da segurança da informação e entenda por que uma parceria pode ser interessante para a sua empresa!